TESTE DO NISSAN VERSA ADVANCE 2024 – BOM CUSTO BENEFÍCIO

TESTE DO NISSAN VERSA ADVANCE 2024 – BOM CUSTO BENEFÍCIO

Versão intermediária Advance puxa as vendas do sedã Nissan Versa 2024, embalada pela relação custo/benefício

A linha 2024 do sedã compacto Nissan Versa chegou ao Brasil no final de junho deste ano. Renovado em relação ao design apresentado em 2019, aproximou-se, em alguns aspectos, do médio Sentra, também produzido na fábrica de Aguascalientes, no México. Além de um design mais jovial, o Versa incorporou novos itens de segurança e conforto. Aparentemente, a evolução deu resultado. Antes do lançamento da linha 2024, vendeu 3.572 unidades de janeiro a junho deste ano, com uma média abaixo de 595 unidades mensais. De julho a setembro, já com a linha 2024 nas concessionárias, o sedã vendeu 2.725 exemplares – média mensal de 908 unidades. A linha do sedã é composta por três versões: a de entrada Sense, com preço de R$ 105.190, a intermediária Advance, a R$ 114.290, e a topo de linha Exclusive, a R$ 126.590. Nas concessionárias, a Advance concentra 42% da demanda, provavelmente por conta da relação custo/benefício. As outras duas versões ficam com 29% cada.


A linha 2024 preserva os 4,49 metros de comprimento, 1,74 metro de largura, 1,46 metro de altura e 2,62 metros de distância de entre-eixos do ano/modelo anterior. Apresentado nos Estados Unidos em 2022, o atual estilo traz uma nova leitura da grade V-Motion – agora maior, na cor preta e com as extremidades prateadas – e um novo para-choque dianteiro. O carro estreia também o novo logotipo da Nissan na frente e na traseira. Atrás, pouco mudou: as lanternas horizontais e recortadas continuam as mesmas e só há alteração na parte inferior do para-choque. O Versa 2024 conta com duas opções de cores sólidas (Preto Premium e Branco Aspen), cinco metálicas (Cinza Lunar, Azul Cobalto, Cinza Grafite e Prata Classic e o Vermelho Scarlet do modelo testado) e uma perolizada (Branco Diamond).
O “powertrain” é igual em todas as versões doVersa e o mesmo do ano/modelo anterior. O conjunto formado pelo motor 1.6 16V Flex e pela transmissão Xtronic CVT com 5 marchas simuladas entrega 113 cavalos de potência e torque de 15,3 kgfm quando abastecido com etanol. Segundo a Nissan, em baixas rotações, o câmbio tipo CVT ajuda a reduzir o consumo e gera menos ruídos internos. A transmissão incorpora o modo “Sport”, que, acionado por um botão no câmbio, eleva as rotações para proporcionar respostas mais rápidas. Adiciona ainda a função D-Step, para melhorar a sensação de aceleração com a simulação de trocas de marchas em alta rotação.
Desde a variante Sense, o Versa tem bancos dianteiros com tecnologia Zero Gravity, volante com regulagem de altura e profundidade, acionamento do motor por botão, retrovisores externos com regulagem elétrica, vidros com acionamento elétrico, chave eletrônica I-Key, controle de tração e estabilidade, assistente de frenagem e de partida em rampa, seis airbags, acendimento automático dos faróis, comando do piloto automático no volante, sensor de estacionamento traseiro e botão push-start. Na versão inicial, vem com rodas de liga leve aro 15. Já a intermediária Advance, que custa R$ 9 mil a mais que a Sense, tem rodas de liga leve de 16 polegadas e acrescenta console central com apoio de braço e entrada USB-C, carregador sem fio, alerta de colisão frontal, assistente de frenagem de emergência, visão 360 graus com detector de objetos em movimento, banco traseiro bibartido 60/40 rebatível, alerta de objetos no banco traseiro, painel central multifuncional de TFT de 7 polegadas com 12 funções, retrovisores externos na cor do veículo com indicadores de direção e alerta de cinto de segurança (frontais e traseiros). O multimídia de 7 polegadas tem espelhamento para Apple CarPlay e Android Auto com fio.
O bom desempenho de vendas da Advance se explica pelo fato de custar R$ 12 mil a menos em relação à Exclusive. A “top” adiciona multimídia de 8 polegadas, rodas de liga leve de 17 polegadas, aerofólio traseiro, acabamento de revestimento que simula couro nos bancos e no volante, faróis com DTRL em leds, antena tipo barbatana de tubarão, sinal de parada de emergência, ar-condicionado automático digital, alerta de tráfego cruzado traseiro e monitoramento de ponto cego. É um acréscimo interessante de equipamentos, mas aparentemente não o bastante para justificar o gasto adicional – pelo menos para a maioria dos compradores do Versa.

Experiência a bordo

Zona de conforto

No Versa 2024, o espaço interno continua amplo e se equipara ao de alguns sedãs médios. A coluna de direção tem regulagem em altura e profundidade. Forrados em tecido na versão Advance, os bancos espessos da linha Gravidade Zero têm anatomia correta e são bastante confortáveis. A partida é por comando no console e pode-se entrar e sair do carro sem o uso da chave. Contudo, uma das características mais sedutoras da variante intermediária fica por conta das imagens geradas pelas quatro câmeras localizadas na frente, na traseira e nas laterais do sistema de Visão 360 Graus Inteligente. Também presente na versão “top” Exclusive, o sistema fornece total visibilidade do entorno, como se o carro estivesse sendo filmado de cima.
O painel de instrumentos em TFT com display colorido traz mostradores configuráveis e oferece informações como as dos alertas de colisão frontal com assistente de frenagem, sensores de estacionamento e configurações gerais do veículo. As duas tomadas USB dedicadas aos passageiros de trás são uma boa ideia, mas a ausência de iluminação nos espelhos dos para-sois e porta-luvas mereceria ser revista. Também falta alguma iluminação nos botões dos vidros elétricos, que são difíceis de se localizar à noite. E a conectividade sem fio com Apple CarPlay e Android Auto tem demanda em alta na categoria de sedãs, mas está ausente no Versa Advance.

Impressões ao dirigir

Racionalidade sem tédio

Sem turbo nem injeção direta, o Versa não tem a motorização mais moderna do segmento – no entanto, o câmbio CVT se encarrega de entregar o máximo de força. A transmissão tem o modo “Sport”, que pode ser acionado por um botão no câmbio e eleva as rotações para proporcionar respostas mais rápidas. Não há trocas manuais de marchas, porém, a simulação das mudanças em altas rotações faz esquecer aquela aborrecida sensação de giro constante dos CVTs antigos. Quando é solicitada uma performance mais elevada, a transmissão CVT faz com que o motor atue em faixas de rotações mais altas e o ruído invade a cabine.
Mesmo sem oferecer a exuberância de torque e potência dos rivais com turbocompressor, o conjunto mecânico do Versa é convincente e funcional. Embora compartilhe o “powertrain” com o Kicks, o Versa oferece um desempenho dinâmico mais interessante. Como o sedã é em média 40 quilos mais leve do que o SUV em versões de acabamento equivalentes, além de ser mais baixo e ter melhor aerodinâmica, o motor 1.6 16V acaba conferindo ao Versa um comportamento mais ágil e mais equilibrado nas curvas. De acordo com o Inmetro, com etanol, o sedã faz média de 7,9 km/l na cidade e 10,2 km/l na rodovia. Já com gasolina, os números são de 11,5 km/l e 14,7 km/l, respectivamente.
A suspensão é um destaque do sedã compacto da Nissan. É bem resolvida em relação aos ruídos e vibrações e entrega um conforto de rodagem que não deixa a desejar em relação a muitos sedãs médios. O conjunto suspensivo equilibra conforto e capacidade de absorção de impactos sem afetar a dirigibilidade. O fim de curso dos amortecedores demora a aparecer e a carroceria não aderna excessivamente nas curvas rápidas. A direção elétrica é leve nas manobras de estacionamento e adquire a consistência adequada em velocidades mais altas.

 

Ficha Técnica
Nissan Versa Advance

Motor: 1,6 litro, 1.589 cm³, quatro cilindros, 16 válvulas, CVVTCS, flex (etanol e gasolina), acelerador eletrônico e injeção eletrônica multiponto sequencial
Potência: 113 cavalos (etanol) e 110 cavalos (gasolina) a 5.600 rpm
Torque: 15,3 kgfm com etanol e 15,2 kgfm com gasolina a 4 mil rpm
Direção: elétrica com assistência variável
Tração: dianteira
Transmissão: Xtronic CVT
Suspensão: dianteira independente, tipo MacPherson, com barra estabilizadora, e traseira com eixo de torção e molas helicoidais
Freios: dianteiros com discos ventilados e traseiros com tambor
Rodas: liga leve de 16 polegadas
Pneus: 205/50 R16
Dimensões: 4,49 metros de comprimento, 1,74 metro de largura, 1,47 metro de altura e 2,62 metros de entre-eixos
Porta-malas: 482 litros
Tanque de combustível: 41 litros
Peso em ordem de marcha: 1.122 quilos
Preço: R$ 114.290 na cor Vermelho Scarlet do modelo avaliado

AdvertisementAdvertisement