Mesmo em crise, produção nacional de veículos cresce em outubro

Assim como nos emplacamentos, a produção foi melhor que setembro, mas pior que o mesmo período de 2020
Fábrica GM Gravataí-RS

Por Diário Motor

Em outubro, de acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Autoveículos (Anfavea), a produção de veículos no Brasil seguiu o panorama dos emplacamentos, com alta na comparação de setembro, queda referente ao mesmo mês de 2020 e crescimento no acumulado do ano. 

No último mês, as montadoras instaladas no país produziram 177,9 mil veículos, alta de 2,6% em relação a setembro (173,3 mil), mas queda vertiginosa de 24,8% quando comparado com o mesmo período de 2020 (236,5 mil). O acumulado do ano apresenta um crescimento de 16,7% (1.827,7 milhão contra 1.566,6 milhão). 

Segundo a Anfavea, geralmente outubro é um mês de produção bastante elevada, para abastecer as lojas na reta final do ano, quando a procura é mais aquecida. Porém, as limitações de componentes eletrônicos fizeram com que este fosse o pior outubro dos últimos cinco anos.

“Os esforços das áreas de compras, logística e manufatura das montadoras merecem todos os elogios, mas infelizmente a demanda reprimida, somada ao tradicional aquecimento de fim de ano, poderá não ser atendida pela oferta”, afirma Luiz Carlos Moraes, presidente da Anfavea. 

Nas exportações, 29,8 mil veículos saíram do Brasil em direção a outros mercados. Uma alta de 26,1% em relação a setembro e queda de 14,6% quando comparado com o mesmo mês de 2020. No acumulado do ano já foram exportadas 241,9 mil unidades, 26,8% a mais que no mesmo período do ano passado. 

Entre os caminhões, 13,6 mil veículos foram produzidos no último mês, queda de 1,7% referente a setembro (13,8 mil) e alta de 24,6% comparado com outubro de 2020 (10,9 mil). Nos primeiros 10 meses do ano, 131,9 mil unidades saíram das linhas de produções brasileiras, uma incrível alta de 91,2% (69 mil), quando comparado com o ano passado.

Anuncie aqui
bannerads_neder