Rodas & Motores

  1. Caoa Chery Tiggo 7: um SUV bom de briga
  2. Equipe Mercedes de Fórmula 1 com visual agressivo
  3. Teste drive do novo Jetta nas ruas de Goiânia
  4. Segmento Premium somou 50 mil unidades em 2018
  5. Boas expectativas com os motores Honda no chassis Red Bull F1
  6. Fenabrave envolvida em conter aumento de ICMS sobre veículos
  7. Saber dirigir sem vícios
  8. No caminho errado com a Liberty Media
  9. A Yamaha do Brasil  apresentou em São Paulo  seus pilotos e equipes para a temporada 2019
  10. Yamaha Crosser XTZ 150 com freios ABS
  11. Maverick Viñales, o piloto mais rápido no segundo dia de testes oficiais de Motogp
  12. Novo patrocinador da equipe Ferrari de Fórmula 1
  13. Não vai faltar dinheiro para financiar veículos em 2019
  14. Vitória da General Motors no acordo com Sindicato dos Metalúrgicos
  15. Ducati na frente em Sepang
  16. Ford Ecosport Titanium sem estepe e com pneus run flat.
  17. Prefeitura de São Paulo abre licitação para as linhas de ônibus
  18. Bmw, Ducati e Harley fora do Salão duas Rodas 2019
  19. Marc Marquez voando baixo no primeiro dia de testes do MotoGp
  20. Fiat Strada; encerrando um ciclo de sucesso
  21. Os desafios do Inovar Auto
  22. 300 mil veículos produzidos na Nissan em Resende
  23. Competições de carros elétricos
  24. Primeiros testes das Equipes de Formula 1
  25. Visual azul das novas motocicletas Yamaha do MotoGp
  26. Nome AlfaRomeo custou 6 milhões a equipe Sauber
  27. 11 anos da Lei Seca no Brasil
  28. Caoa Chery apresenta o Tiggo 7 em São Paulo
  29. Os efeitos da crise de veículos no Brasil
  30. Erros da General Motors do Brasil
  31. 60 mil unidades emplacadas do Fiat Argo
  32. Testes oficiais do mundial de Motovelocidade começam hoje
  33. Vendas de automóveis em janeiro
  34. Fred Kyrillos venceu o duelo de Motos em Atibaia
  35. Caio Collet na academia Renault Sport
  36. BMW X5 custará no Brasil R$ 449.950
  37. Mercedes-Benz apresenta nova versão do Classe A
  38. McLaren 600LT Spider: o novo Longtail conversível
  39. BMW do Brasil informa clientes sobre recall do BMW M4 Coupé, M4 GTS e M3 Sedan
  40. Vitória de Augusto Farfus na classe GT Le Mans
  41. veja galeria de
  42. teste
  43. Vendas de veículos em novembro
  44. Goiano João Rosate encerra temporada entre os melhores na Stock Light
  45. Muitas festas e mais mortes nas rodovias
  46. Lei para transportar crianças nos veículos
  47. Os pilotos Marc Marquez e Jorge Lorenzo estão quietos e recuperando de cirurgia
  48. Equipes testam no circuito de Yas Marina novos compostos de pneus
  49. Mercado de Scooters em alta
  50. Equipe Cimed anuncia mudanças para temporada 2019
  51. 60 milhões de dólares na edição Dacar 2019
  52. Calendário 2019 da Fórmula 1
  53. Novo compartilhamento do Registro de Veículos
  54. Aposta da Renault na F1 em 2019
  55. Mercado: o Natal está chegando
  56. Museu Ferrari Maranello
  57. Ford Belina 1973
  58. Mercedes 300SL
  59. Opalas 250S
  60. Custo das baterias
  61. Porsche 356
  62. Podcast 002
  63. Podcats 001
  64. Renault na 4ª posição no ranking de vendas
  65. Test drive Toyota Yaris 2019 – Rodas & Motores
  66. Salão do Automóvel de São Paulo 2018
  67. Lamborghini Urus ST-X
  68. Teste 004

Quando foi lançado, em 1954, o Mercedes 300 SL já teria sido um case da indústria em razão das inovações mecânicas e da proposta esportiva. Mas as asas de gaivota, as portas abrindo para cima, solução absolutamente oposta ao convencional, acabaram virando  ícones e transformaram um automóvel que já era notável numa referência mundial e eterna.

 

O curioso é que a maneira de abrir as portas surgiu da dificuldade de equilibrar o chassis tubular, novidade na época, peso de apenas 50 quilos, com a necessária estrutura que tomava o espaço lateral normalmente destinado as portas, seria impossível entrar no carro !!!  O projetista Rudolf Uhlenhalt, genial já na concepção, ousou ainda mais elevando a borda inferior das portas e ampliando o espaço para cima, tomando parte do teto. Nascia a forma Gullwing, asa de gaivota, ave marinha de grandes asas, cerca de 1 metro e meio,  que se abrem formando uma imagem característica.

 

O 300 SL, W194 no código interno da Mercedes, já inovava na injeção direta de gasolina, no estilo arredondado e elegante, no perfil aerodinâmico. O motor não era novo, 3 ponto zero, 6 cilindros em linha, Uhlenhalt foi buscar a base nos Mercedes 300 que serviam ao governo alemão. A caretice foi temperada pela injeção direta mecânica que, aliás, impôs a inclinação do motor em 50 graus para não ter que abrir ranhuras no capô, apelação incompatível com o estilo do carro. A potência disponível era de 240 cavalos, caixa manual de 4 marchas com alavanca no assoalho, administração fácil para um carro leve, capô, tampa do porta-malas e portas de alumínio. Zero a 100 em pouco mais de 8 segundos, máximo de 220 km por hora. Parava com quatro tambores, suspensão de braços triangulares, a traseira independente de eixos oscilantes, rudimentar para o desempenho do carro e que exigia boa dose de concentração de quem estava ao volante. Do SL derivaram os SLR, especiais para competição, multivitoriosos sob o comando de Juan Manuel Fangio. Os SL tiveram vida curta, exatamente porque as portas abrindo para cima dificultariam resgate dos ocupantes em caso de acidente. Deixaram de ser produzidos 3 anos depois largando para tras um rastro de sucesso, harmonia e classe que perdura até hoje. Exemplares das primeiras séries são leiloados, quando isso ocorre, por milhões de dólares.