HONDA PCX, BOA DE VENDA

HONDA PCX, BOA DE VENDA

Modelo recebe pela segunda vez o Selo Maior Valor de Revenda: perdeu apenas 3,1% depois de um ano de uso.

Economia, praticidade e conforto. Essas são as principais características do scooter mais vendido e o veículo de duas rodas mais valorizado no mercado brasileiro. O Honda PCX recebeu a certificação Selo Maior Valor de Revenda 2023, em sua 8ª edição, resultado do Estudo de Mercado realizado pela Agência Autoinforme, em parceria com a Textofinal de Comunicação, que revela as motocicletas mais valorizadas no mercado de veículos usados. É a segunda vez que o scooter da Honda ganha a certificação principal, como o veículo mais valorizado entre todas as categorias. Ganhou em 2016, com uma depreciação de 8,9%. Em 2023, o índice de depreciação foi surpreendente: a moto obteve uma desvalorização de apenas 3,1% após um ano de uso.

O PCX tem motor 150cc, quatro tempos, arrefecido a líquido com injeção eletrônica, de 13,2 cavalos de potência a 8.500 rpm e câmbio automático CVT. Alcança velocidade de 110 km/h (limitada eletronicamente) e faz 30 km com um litro de gasolina. Painel digital com informações como consumo, nível de gasolina e relógio e o sistema que desliga o motor quando parado por mais de três segundos. O veículo tem quadro tubular e as rodas de 14 polegadas, o que garante estabilidade, 764 mm de altura do banco ao solo e pesa apenas 126 kg. O scooter campeão de revenda é oferecido em duas versões: Sport ABS, DLX ABS. Tem três anos de garantia e alta liquidez no mercado de usados.
Ganhadores por categoria – O estudo da certificação Selo Maior Valor de Revenda – Motos 2023 analisou a precificação de 121 modelos, subdivididos em 18 categorias, por meio da constatação objetiva das tabelas oficiais desses veículos zero quilômetro versus preços praticados depois de um ano de uso.
A Shineray XY 50, com índice de depreciação de 10,8%, venceu na categoria 50 cc, seguida por Triumph Tiger 900 (Big Trail até 900 cc – 7%), BMW R1250 (Big Trail acima de 900 cc – 8,5%), Triumph Speed Twin 900 cc (Clássicas – 4,5%), Triumph Trident (Crossover – 5,1%), Royal Enfield Meteor 350 cc (Custom até 800 cc –  6,5%), Harley-Davidson Fat Boy (Custom acima de 800 cc – 4,6%), Shineray SE2 2300W (Elétricas – 12,6%), Honda BIZ 110/125 (Motoneta – 4,3%), Honda CB 650R (Naked até 800 cc – 4,7%), Kawasaki Z1000 (Naked acima de 800 cc – 5,9%).
A certificação contemplou ainda a Honda PCX 160 (Scooter até 200 cc – 3,1%), Campeão Geral do SMVR-Motos 2023, Honda Forza 350 (Scooter acima 200 cc – 5,2%), Honda CBR 650 R (Sport até 800 cc – 6,4%), Honda CBR 1000 RR-R Fireblade SP (Sport acima de 800 cc – 6,8%), Honda CG 160 (Street – 6,9%), Harley-Davidson Ultra Limited (Touring – 4,1%) e Honda NXR 160 Bros (Trail – 5,6%).
Expectativa 2024 – No ano passado, foram vendidas no mercado interno 1.582.032 motocicletas, aumento de 16,2% em relação a 2022. A Street foi a categoria mais licenciada, seguida pela Trail e a Motoneta. Para este ano, a Abraciclo projeta um aumento de 7,5%, com 1.700.000 motocicletas, com base nas expectativas de melhora nos cenários macroeconômicos do Brasil, como crescimento do PIB, controle da inflação e das taxas de juros e a confiança do consumidor.
AdvertisementAdvertisement