FORD DEU UM TRATO NA PICAPE RANGER 2020

A Ford deu um trato na picape Ranger, muito de leve por fora, mais no comportamento dinâmico na suspensão, mais suave e melhor no asfalto mas com um toque radical off road, a imersão em cursos de água sobe para 80 centímetros. Colher de chá em conforto é o assistente de fechamento de caçamba, um amortecedor que facilita e torna mais leve a abertura e o fechamento da tampa traseira. Importante, acabam as opções de motorização flex, a versão a diesel mais em conta, 4 por 2 e diesel 2 ponto 2, 160 cavalos, custa R$ 128.250 reais. A topo de linha Limited, motor 3 por 2, 200 cavalos, tração nas 4, R$ 188.890. Continua muito bem equipada e acabada, no melhor nível da concorrência com a qual disputa pau a pau um terceiro lugar versus a Amarok que também está em ascensão. A líder é a Hilux, S10 em segundo lugar.

 

 

 

 

 

O mega evento de lançamento da Ranger 2020 na Argentina revela com clareza a importância que os executivos da Ford estão dando a esta nova fase do produto e justifica o investimento em mecânica, conforto e tecnologia. A Ranger é vice-lider em vendas no segmento de picapes medias na America Latina, atrás apenas da Toyota Hilux, disputa pau a pau
o terceiro lugar com a Volkswagen Amarok no Brasil e compõe, no futuro breve, o quadro mais ativo de produtos globais na estratégia do seu catalogo. A Ford vendeu em 2018 1 milhão de picapes, das quais 300 mil eram modelos Ranger. Picapes e Suvs terão prioridade mundial no line up e na produção daqui para a frente e o objetivo, citado inclusive por Lyle Watters,
presidente da Ford do Brasil e da America do Sul, é ampliar consistentemente as vendas regionais para fazer volume internacional. Para alcançar esse estágio, os homens da Ford investiram forte
na tecnologia embarcada, é a única da concorrência a oferecer controle de cruzeiro adaptativo e alerta de permanência em faixa, assistente autônomo de frenagem de emergência, que
para totalmente o carro evitando o choque com o veiculo da frente e farol alto automático que regula a intensidade do facho caso e3vitando o ofuscamento do veículos que vem em
sentido contrário. A Ford vem enfrentando dificuldades mundiais a ponto e alterar de maneira radical sua política de produto, encerrou a produção de sedãs e divulgou projeto de investir exclusivamente em suvs e picapes. No Brasil, anunciou o fechamento da fábrica de caminhões em São Bernardo do Campo, de onde também deixam de sair os Fiesta, abriu plano de demissões voluntárias na fábrica de Camaçari, na Bahia, deixou de produzir o Focus na Argentina e deve encerrar em breve a importação do Fusion. Vem perdendo a histórica 4ª.posiçao entre as marcas mais vendidas, ocupada pela Renault no mês de junho. A forte aposta na Ranger apenas confirma o que se anunciava antes como política: a marca vai vir cada vez mais forte em suvs e picapes. O novo modelo é o exemplo.

Anuncie aqui
bannerads_neder