Custo das baterias

O custo das baterias que dão energia aos motores dos automóveis elétricos está cada vez mais baixo, e a tendência é para continuar a cair, permitindo que estes automóveis sejam cada vez mais eficientes e que possam atingir os preços dos seus equivalentes com motor a gasolina ou Diesel. Esta redução de custo tem origem na proliferação de automóveis elétricos em vários segmentos, com o próprio aumento da produção a contribuir para um preço mais acessível.

De acordo com uma análise da Bloomberg, o custo por kWh, a unidade de medida da capacidade das baterias, era de 1000 dólares (à época, 755 euros) em 2010, o que significava que representava 20 mil euros do preço total da primeira geração do Nissan LEAF. Foi preciso esperar até 2014 para ficar a pouco mais de metade daquele valor, mas nos últimos dois anos a queda acentuou-se, até atingir os atuais 209 dólares (177 euros) por cada kWh, uma descida de quase 80 por cento em apenas sete anos.

De acordo com a análise da Bloomberg, quando o custo das baterias cair para a metade do valor atual, estas tornar-se-ão mais interessantes para o público generalista que um carro a gasolina. Evoluções nesta tecnologia, como baterias de estado sólido, que deverão ter três vezes mais capacidade e serem recarregadas em metade do tempo, farão parte desta redução futura no custo do kWh de energia.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email