Brasil terá laboratório para testes de baterias de carros eletrificados

O projeto será desenvolvido pelo Inmetro em parceria com o setor privado, o protocolo de entendimento foi assinado nesta semana
Porsche Cayenne E-Hybrid Coupe

Por Diário Motor

O Brasil terá o primeiro laboratório para ensaios de baterias de carros híbridos e elétricos do Brasil. Desenvolvido pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), o estúdio já tem lugar para ser instalado, no Campus do órgão, um parque tecnológico em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, que abriga 57 laboratórios de alta tecnologia. 

Fruto de parceria entre setores público e privado, o espaço contará com equipamentos rastreados e calibrados, que garantam mais segurança e melhor desempenho às baterias dos veículos elétricos.

O Memorando de Entendimento para início do projeto foi assinado na última terça-feira (31), em Brasília, pelo presidente do Inmetro, Marcos Heleno Guerson, pelo diretor dos Laboratórios Especializados em Eletroeletrônica, Calibração e Ensaios (Labelo) da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), Israel Teixeira, e pelo diretor Executivo do organismo de certificação de produtos PCN, Kim Rieffel. 

Segundo o Instituto, o laboratório deverá entrar em operação em 2023 e atende à crescente demanda mundial por carros mais econômicos e menos poluentes. Além da importância para o mercado interno, o Brasil será pioneiro na América Latina no estabelecimento dos requisitos para este tipo de produto, podendo exportar tecnologia e conhecimento aos países vizinhos.

“Que esse momento se multiplique. Que muitos outros laboratórios, formas de certificação se proliferem e o Inmetro se consolide como essa caixa de ferramentas de infraestrutura da qualidade. Um exemplo para o mundo inteiro e um grande parceiro para o crescimento do nosso país”, afirma Carlos da Costa, Secretário Especial de Produtividade e Competitividade da Presidência da República

Ainda de acordo com o Inmetro, a iniciativa está fundamentada no Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação, que traz o conceito da tríplice aliança, que entende a inovação como produto da interação entre empresas, universidades e governo. 

“O modelo tradicional que era aplicado no Brasil, em que a inovação era quase uma particularidade do setor público, não funciona. E o Marco de Ciência, Tecnologia e Inovação vem para reconhecer isso e tentar colocar o setor privado nesta equação. É o que temos aqui hoje: governo, empresa e academia trabalhando juntos pela inovação”, explica Marcos Heleno Guerson.

Dentre as atribuições do novo laboratório, o Inmetro cederá o espaço no Campus de Laboratórios, com treinamento de especialistas para manter a rastreabilidade, desenvolver requisitos e programa de acreditação e apoiar a normalização nacional ou regional, em alinhamento com ABNT e IAAC (Cooperação Interamericana de Acreditação).

A PCN fará a ponte com potenciais investidores, dará suporte para normalização e desenvolverá esquema de certificação com base em fluxos já adotados em todo o mundo. Já a Labelo/PUC-RS gerenciará o fundo arrecadado, será responsável pela construção do laboratório e pela compra de equipamentos.

Anuncie aqui
bannerads_neder